Buscar

Entenda a culpa por trás dos porquês com [NEM] TUDO ESTÁ PERDIDO

Dra. Kathleen Smith mostra quais questionamentos fazer para parar sair do ciclo de ansiedade


Jordan e Kyle não eram mais um casal. Mas Jordan passava boa parte do tempo procurando fotos do Kyle no Instagram ou vendo o que ele comprava para outras mulheres (ela tinha as senhas dele). Ela não conseguia entender como ele pôde largá-la após tudo que tinham vivido.


Jordan estava tão focada em Kyle que, em sua primeira consulta com a dra. Kathleen Smith, quase não falou sobre si. Era só Kyle, Kyle, Kyle. Como ele era imaturo. Como era egoísta e ridículo. O problema é que esse foco no outro estava deixando Jordan ansiosa e estressada.


Focar nos outros, aliás, é um grande sabotador. O que nos alivia da ansiedade é nos concentrarmos em nós mesmos. Pode parecer simples mas, segundo a autora de [NEM] TUDO ESTÁ PERDIDO, é um grande desafio.


A CULPA EMBUTIDA NOS "PORQUÊS"

Jordan estava perguntando a si mesma: “Por que estou tão infeliz?”. E tinha uma resposta óbvia para essa pergunta: “Por causa de Kyle”. O problema era que Kyle não estava fazendo terapia. Jordan é quem estava ali, e Jordan era a única variável que ela poderia alterar nessa grande equação disfuncional. Para ajudá-la a focar nela mesma, Dra. Smith fez várias perguntas que não começavam com “por quê”.


Dra Smith: Quando é que Kyle faz você ficar ansiosa?

Jordan: Quando ele não responde minhas mensagens.


Dra Smith: O que você faz quando ele não responde?

Jordan: Eu mando mensagens e ligo sem parar ou peço a um amigo para checar o Instagram dele.


Dra Smith: Quão eficaz isso tem sido?

Jordan: Eu me sinto bem no momento em que o estou atacando. Mas depois me sinto muito mal quando não consigo o que quero. Fico ainda mais ansiosa.


Dra Smith: O que poderia ser mais eficaz para acalmar você? Tem alguma ideia?

Jordan: Eu poderia não checar meu telefone tanto assim. Ou talvez tentar, em vez isso, respirar fundo algumas vezes.


Este é uma adaptação do primeiro capítulo de [NEM] TUDO ESTÁ PERDIDO. Ao final do capítulo, a Dra Kathleen conta como Jordan pouco a pouco conseguiu focar mais em si mesma e dá exercícios para você praticar sozinho. A partir daí, a autora constrói sua base para o "eu sólido", conceito fundamental para o desenvolvimento do livro.